Os nossos tratamentos Conselhos úteis

O que Deve Saber Antes da Cirurgia

Valores envolvidos



Quaisquer procedimentos de natureza estética, quer seja cirúrgico ou não, está associado a um custo.



Os valores envolvidos variam muito, dependendo do tipo de tratamento ou procedimento cirúrgico, e dependem, naturalmente da complexidade do acto cirúrgico, da experiência e diferenciação do profissional que o executa, para já não falar do local onde se realiza a cirurgia e até do tipo de anestesia utilizado.



Como regra, a Cirurgia Plástica e Estética é considerada uma "cirurgia electiva" e não é comparticipada por praticamente todos os planos de saúde. No entanto, algumas cirurgias que têm um aspecto funcional significativo - como a redução mamária, se o peso da sua mama causa dor ou interferir com as actividades normais, pode ser considerada reconstrutiva, mais do que estética. O mesmo é verdade nas situações de reconstrução mamária, após mastectomia (cirurgia de amputação  mamária). Estes são apenas alguns dos exemplos de excepção à regra acima referida. O mais prudente é contactar a seguradora para saber o que está coberto pelo seu plano de saúde, ou doença, em particular.



Nunca escolha um médico somente com base em baixos preços. Verifique a sua certificação pelo Colégio de Especialidade de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética e se é membro da Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica. Confie a sua face ou corpo ao Cirurgião Plástico com quem se sinta mais confortável. 



 



Local da Cirurgia



A Cirurgia Plástica e Estética pode ser realizada com segurança num bloco operatório dum consultório, de uma clínica ou dum hospital, desde que reúna as condições de segurança e efectuada por profissionais responsáveis e experientes. 



 



Riscos e Complicações



A Cirurgia Plástica e Estética, como toda a cirurgia tem riscos. Os Cirurgiões Plásticos realizam milhares de cirurgias todas as semanas, mas como qualquer outro tipo de cirurgia, um paciente pode ter uma reacção adversa à anestesia ou ser afectado por complicações pós-operatórias. Estes problemas podem ocorrer mesmo quando o cirurgião realiza a operação com todos os cuidados. Nas consultas prévias à cirurgia o seu Cirurgião terá todos os cuidados em lhe explicar, através de uma linguagem compreensível e de uma forma realista, dos possíveis riscos e complicações relacionadas com o seu tipo de procedimento em particular. Caso tenha alguma dúvida não hesite em lhe perguntar. Só ele está apto a lhe responder às dúvidas que eventualmente surgem e que não foram devidamente explicadas anteriormente. 



 



Recuperação da Cirurgia



Deve ter em conta que, para a maioria das cirurgias estéticas, necessita de restringir as suas actividades normais durante um tempo após a cirurgia. Por outro lado, também levará algum tempo para que as marcas visíveis da cirurgia desapareçam. Deve planear o seu trabalho e actividades sociais para ter tempo e calma suficientes para a recuperação e desta forma não comprometer o resultado final por um período de recuperação desadequado ao procedimento efectuado.


Como Escolher um Cirurgião Plástico Qualificado

A formação global de um Cirurgião Plástico engloba uma combinação de conhecimentos básicos, capacidade de avaliação cirúrgica, habilidade técnica, ética e capacidade de relacionamento interpessoal de forma a se obter um resultado final que se aproxime da experiência de quem nos procura.



Independentemente do tipo de cirurgia plástica ou estética que esteja a considerar, o factor mais importante no sucesso da cirurgia é o cirurgião que escolher.



Como encontrar um Cirurgião Plástico qualificado, experiente e bem treinado?



As melhores recomendações são as efectuados por um amigo ou conhecido que já tenha realizado uma cirurgia semelhante à que pretende, com o médico que escolheu. A recomendação de um dado Cirurgião Plástico por outro médico, que conhece, ou por um enfermeiro, também é um ponto a considerar.



Poderá também contactar a Ordem dos Médicos (www.ordemdosmedicos.pt) e em particular o Colégio de Especialidade de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética e ainda a Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética (www.spcpre.org.pt) onde poderá verificar quais os médicos especialistas em Cirurgia Plástica reconhecidos.



O facto de o Cirurgião pertencer e ter o seu reconhecimento por entidades europeias e internacionais, como por exemplo o European Board of Plastic  Surgery (www.ebopras.com)  também podem ser orientadoras do grau de diferenciação do profissional em questão.



Pode ainda recorrer às Páginas Amarelas, quer electrónica (www.pai.pt) quer em papel, ou outros anúncios, assim como a participação do médico em alguns artigos de divulgação e informação publicados em revistas ou jornais conhecidos.



O facto de o profissional que procura exercer a sua actividade numa Clínica ou Hospital conhecido e reconhecido é igualmente um ponto a ter em atenção.



Deve ter em atenção se o profissional que consultou não pertence ou não está inscrito no Colégio de Especialidade de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética e na Sociedade Portuguesa de Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética, ou se pertence a outra especialidade sem qualquer relação com a cirurgia a efectuar, que tenham má vontade em responder às suas questões ou age de forma impaciente ou arrogante. E mais ainda se se sentir pressionado(a) para realizar procedimentos desnecessários.



A escolha final



Se obteve o nome do Cirurgião Plástico de uma boa fonte, verificou as suas credenciais, ficou satisfeito(a) com a sua consulta inicial e tem expectativas correctas para a sua cirurgia, tendo-lhe sido fornecidos todos os esclarecimentos que julga necessário, então tem boas possibilidades de ficar satisfeito(a) com o resultado. 


Aspectos Psicológicos da Cirurgia Plástica

Melhore a sua auto-imagem com a Cirurgia Plástica



Cada um de nós tem uma ideia como é que nos parece que os outros nos vêm quando nos olham. Pessoas que estão felizes com a sua (auto-)imagem têm maior probabilidade de serem autoconfiantes, eficientes no trabalho e em situações sociais, e também mais confortáveis nas suas relações. Aqueles que estão insatisfeitos tendem a ser mais introvertidos, inibidos e menos eficientes nas suas actividades. 



A cirurgia plástica - seja estética ou reconstrutiva - encoraja e promove uma auto-imagem forte e positiva.

Mesmo uma pequena alteração no exterior pode criar uma alteração extraordinária no interior, conduzindo ao desenvolvimento da autoconfiança individual.

As alterações resultantes da cirurgia plástica são muitas vezes grandes e permanentes e desta forma é importante que tenha uma ideia clara do que a cirurgia o(a) pode fazer sentir, algum tempo antes da cirurgia ser marcada.



Candidatos para Cirurgia



Se está a pensar em efectuar uma Cirurgia Plástica, deve ser honesto(a) consigo mesmo e perguntar: "Porque quero a cirurgia? Quais são os objectivos para a cirurgia?" - ou seja, o que espera que a cirurgia plástica faça por si?



Existem duas categorias de pacientes que são bons candidatos para a cirurgia. A primeira inclui pacientes com uma forte auto-imagem, que são incomodados com um aspecto físico que pretendem melhorar ou alterar. Após a cirurgia, estes pacientes sentem-se bem com os resultados e mantêm uma imagem positiva sobre si.



A segunda categoria inclui pacientes que têm uma deformação física ou estética, que diminui a sua auto-estima com o tempo. Estes pacientes podem adaptar-se mais lentamente após a cirurgia, à medida que a sua auto-estima vai melhorando, e fortalecendo-se às vezes de forma espectacular.



É importante relembrar que a cirurgia plástica pode criar alterações físicas e alterações na auto-estima.



Se procura a cirurgia com a esperança de influenciar uma alteração em alguém que não você mesmo, poderá ficar desapontado(a).

É possível que os seus familiares, amigos e amantes respondam positivamente à sua alteração de aspecto e autoconfiança, no entanto, compreenda e aceite que a Cirurgia Plástica, pode não causar alterações em pessoas para além de você mesmo.



Marcação da Cirurgia



A intervenção cirúrgica acarreta necessariamente algum stress.

É importante que a cirurgia seja agendada para uma época sem stress adicional, quer físico ou emocional.



Adaptação à mudança



Pode levar algum tempo antes que esteja emocionalmente recuperado(a) da cirurgia e se tenha completamente adaptado à mudança. Isto é particularmente verdade se o procedimento que realizou alterou muito a sua imagem corporal. Se planeia por exemplo uma cirurgia às pálpebras, provavelmente adaptar-se-á facilmente ao seu novo "look". O seu reflexo será familiar, com um aspecto mais jovem. No entanto, se planeia uma cirurgia nasal, ou outro procedimento que envolva uma grande alteração no seu corpo, o período de adaptação pós-operatório pode levar mais tempo. Até se habituar à sua nova imagem corporal, o seu reflexo pode parecer-lhe pouco familiar.



Ter o suporte necessário



É essencial ter alguém que o ajude, tanto física como emocionalmente, durante o seu período de recuperação. Mesmo o paciente mais independente necessita de algum suporte emocional após a cirurgia.



Lembre-se que durante a primeira semana de recuperação, pode ter dias em que se sinta deprimido, inchado, com nódoas negras e desagradáveis.



Assegure-se que escolhe uma pessoa que faz exactamente isso - apoiar. Decline ofertas de ajuda de alguém que possa criticar a sua decisão de realizar a cirurgia ou possa ser excessivamente complicada pelo seu aspecto, temporariamente inchado e com manchas negras.



Tenha também a consciência que não é raro que um parente ou amigo bem intencionado lhe diga: "Eu gostava como eras antes!", ou "Na realidade acho que não necessitavas fazer esta cirurgia." Comentários deste tipo podem causar, ou piorar, sentimentos de arrependimento ou de dúvida, principalmente durante o período de recuperação inicial.



Peça ao seu cirurgião para o(a) ajudar nestes momentos difíceis e tente focar-se na razão ou razões que o(a) levaram a realizar a cirurgia.



Lidar com a depressão pós-operatória



Após a cirurgia, a maior parte dos pacientes experimenta sentimentos de tristeza. No entanto, para alguns, a depressão pós-operatória pode ser mais grave.



Esta depressão que usualmente dura poucos dias, pode ser causada pelo stress, exaustão, alterações metabólicas, ou a frustração de esperar os resultados.



A depressão pode ser especialmente maior em pacientes que realizaram procedimentos por etapas, que tiveram que lidar com um intervalo de tempo com uma "imagem inacabada" até que a etapa final seja terminada.



Conhecer o que o(a) espera no período pós-operatório pode ajudá-lo(a) a suportar melhor os dias após a cirurgia. É bom saber que a depressão em geral passa, naturalmente, dentro de uma semana. Passeios e actividade social ligeira podem ajudar a passar, mais rapidamente, esta primeira semana.



Lidar com as críticas



Os resultados da sua cirurgia podem despertar alguns comentários de amigos ou familiares e geralmente, não são todos positivos. Se fez uma cirurgia puramente estética, pode ser criticado por ser X em privado. Se mudou um traço familiar, prepare-se para alguns olhares desaprovadores. Mesmo alguns amigos chegados podem sentir-se ameaçados pelo seu melhor aspecto. Alguns pacientes respondem à crítica por exemplo da seguinte forma: "Isto foi algo que fiz por mim e estou muito contente com os resultados".



Lembre-se que se está contente com os resultados da cirurgia plástica, com o que a mesma o fizeram parecer e sentir, então o procedimento foi um sucesso! 


Ao usar este website, está a aceitar a utilização de cookies para análise, conteúdo personalizado e apresentação de anúncios.